Uma habilidade simples que fará de você o ouvinte perfeito

Parece simples: para se tornar um ouvinte ideal, você deve parar de pensar no que precisa dizer. Na próxima vez que você participar de uma reunião importante, preste atenção à platéia. Muitos nem parecem fingir que estão ouvindo o interlocutor: alguns simplesmente se remexem nas cadeiras, outros olham para o boletim de notícias ou escrevem mensagens. Poucos dos presentes realmente ouvem o orador.

As habilidades de escuta ativa desenvolvidas ajudarão você a conquistar o respeito de seus colegas e a se tornar um líder eficaz. Se as pessoas sabem que foram ouvidas, a confiança delas está nas suas mãos. Além disso, a escuta ativa ajuda a eliminar mal-entendidos entre as pessoas, o que muitas vezes surge não tanto porque alguém não expressou claramente seus pensamentos, mas porque alguém os ouviu desatentamente. Mas quantos problemas poderiam ser evitados simplesmente ouvindo atentamente um colega, amigo ou chefe? Isso é familiar?

A maioria dos problemas das habilidades auditivas ocorre durante as reuniões. A estrutura deles parece óbvia. Uma pessoa expressa sua opinião, outra tenta contestar ou comentar, outras comentam ou fazem sugestões. Com base nessa visão, um modelo incorreto é formado: durante a discussão, você sempre espera o momento em que precisa se manifestar. Aqui você pode enfrentar vários problemas.

Em primeiro lugar, muito provavelmente, você não permitirá que uma pessoa termine completamente seu pensamento. É provável que o que o orador diga no último momento mude o significado de seu discurso ou revele a pergunta que lhe interessa.

Em segundo lugar, concentrando-se no que você tem a dizer, introduz involuntariamente a subjetividade na discussão. Compreender a outra pessoa é sempre muito difícil, para isso é necessário levar em consideração o contexto e pequenos detalhes. Portanto, você precisa focar sua atenção a fim de estreitar laços e estimular a economia de seus negócios.

O mesmo acontece sempre quando você avalia a realidade circundante. Mas quando você estiver planejando sua próxima observação ou tentando formular uma pergunta, mudará radicalmente o processo predominante – seu pensamento assume um caráter realizador (mentalidade real). Quando você se concentra na resposta, é provável que perca de vista um componente importante da comunicação – o emocional. A comunicação é sempre muito mais do que apenas palavras. É importante sentir emocionalmente o tom da voz, postura, gestos e expressões faciais do interlocutor. No final, até o habitual “Muito bem!” pode ser tanto elogio quanto insulto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *